Fechar

Empreendimentos

Em andamento
Lotes à venda
Obras Concluídas
Próximos lançamentos

Tipo de negócio

Locação
Venda

Cidade

Brasilândia
Iacri
São Paulo
Lucélia
Presidente Prudente
Presidente Bernardes
Irapuru
Dracena
Junqueirópolis
Alfredo Marcondes
Osvaldo Cruz
Mato Grosso do Sul

6

jun | 2019

Veja comparativo das taxas de juros cobradas pelos bancos para financiamento de imóveis

Descer página

Veja comparativo das taxas de juros cobradas pelos bancos para financiamento de imóveis

A Caixa Econômica Federal anunciou na quarta-feira (5) uma redução nas suas taxas de juros do financiamento para compra de imóveis, mas os novos índices não são necessariamente os menores do mercado.

Desde o ano passado, os juros cobrados pelos principais bancos nas linhas financiadas com recursos da caderneta de poupança tem se mantido mais próximos, em meio a um cenário de recuperação ainda lenta do mercado imobiliário.

A expectativa do mercado é que o movimento da Caixa possa abrir espaço para mais reduções nos outros grandes bancos, que nos últimos dois anos passaram a ter maior protagonismo nos financiamentos imobiliários com recursos da poupança, acirrando a concorrência com o banco estatal.

Até o momento, nenhum outro banco anunciou a intenção de também baixar suas taxas no crédito imobiliário.

Veja abaixo o comparativo das taxas mínimas anunciadas pelos bancos nas principais linhas de crédito imobiliário:

Comparativo de juros para financiamento de imóveis

Fonte: Levantamento G1

Vale lembrar que as taxas anunciadas pelos bancos são as mínimas, e que, para conseguir juros mais baixos, o tomador do crédito precisa quase sempre aceitar uma série de condições, sobretudo maior relacionamento com a instituição financeira. O nível e o tempo de relacionamento com o banco, valor do imóvel, bem como o perfil e renda do consumidor também costumam influenciar diretamente os juros cobrados pelos bancos.

Além da taxa de juros, devem ser considerados também na hora da escolha do financiamento os seguros obrigatórios, o sistema de amortização utilizado (SAC ou Tabela Price), além do pacote de serviços exigidos pelo banco para garantir a taxa ofertada.

Taxa média de juros para financiamento imobiliário
Fonte: Banco Central

Taxa média do mercado segue acima de 9%

Segundo dados do Banco Central, os juros médios de mercado para financiamento imobiliário foram de 9,3% ao ano em abril (último dado disponível), ante 9,5% ao ano no final do ano passado e 11% no final de 2017.

As taxas de juros variam conforme os diferentes tipos de financiamento imobiliário. Aqueles realizados pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e pela linha Pró-cotista (financiada pelo FGTS e destinada a trabalhadores com carteira assinada), costumam ser os mais procurados por aqueles que não se enquadram nas regras do programa Minha Casa Minha Vida.

Desde o final de outubro, o limite do valor do imóvel que pode ser financiado pelo SFH – que permite ao comprador usar o saldo das contas do FGTS – é de R$ 1,5 milhão.

Já as linhas do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) costumam ser direcionadas para imóveis mais caros e solicitadas por compradores que não conseguem se enquadrar nas regras do SFH e utilizar recursos do FGTS.

Os dados do BC mostram também que, em abril, a menor taxa média de mercado para financiamentos de imóveis foi a do Itaú. O Santander ficou em segundo lugar, seguido pelo Bradesco. Veja gráfico abaixo:

Taxa média cobrada pelos bancos no financiamento imobiliário
Fonte: Banco Central do Brasil

O que dizem os bancos

A Caixa segue como líder no mercado imobiliário, com participação ao redor 70%, mas até o começo do ano vinha perdendo a liderança para o Bradesco na concessão de novos empréstimos em linhas financiadas com recursos da caderneta de poupança e não subsidiadas pelo governo.

Desde março, entretanto, a Caixa voltou a assumir a liderança também neste segmento, segundo dados da Abecip, associação das instituições financeiras que atuam no setor.

Ao anunciar nova taxa mínima de 8,5% ao ano para imóveis residenciais enquadrados tanto no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) como no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, destacou que o banco “vinha perdendo mercado” e que com o movimento está “corrigindo essa defasagem”.

A Caixa disse ainda que daqui a duas ou três semanas irá anunciar apossibilidade de concessão de empréstimos com o índice de inflação (IPCA), como indexador – uma alternativa à TR –, e a opção de financiar pelas tabelas SAC ou Price.

Banco do Brasil informou que monitora constantemente os movimentos de mercado e que “até o momento, não há definição sobre novas taxas”.

Itaú disse que “no momento, não há previsão de novas mudanças nas taxas”.

O Santander e o Bradesco não comentaram.Participação de mercado no crédito imobiliário

Participação de mercado no crédito imobiliário
Fonte: Abecip/Janeiro a abril de 2019

Evolução do crédito imobiliário

Dados da Abecip mostram uma recuperação do crédito imobiliário no país. Nos 4 primeiros meses do ano, os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas de poupança atingiram R$ 21,4 bilhões, uma alta de 39,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2018, o volume total chegou a R$ 57,4 bilhões, um avanço de 33% em relação ao ano anterior e a primeira alta em três anos.

Financiamento imobiliário
Fonte: Abecip

O economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, avaliou em entrevista à GloboNews que a redução dos juros da Caixa pode contribuir para estimular o mercado de crédito imobiliário, mas lembrou que o financiamento de imóveis é uma investimento de longo prazo, cuja duração pode passar de 30 anos, e que depende não só de taxas mais atrativas como também de uma retomada da confiança do consumidor, que continua pressionada pelo elevado desemprego e piora das expectativas para o crescimento da economia brasileira.

Fonte: G1

Compartilhe nas redes

Deixe seu comentário

*Ao enviar este formulário, você concorda em receber materiais de marketing e comunicações. Você também concorda com nossa Política de Privacidade.

dezoito − três =